Quais são as perguntas mais recorrentes nas entrevistas de emprego e como respondê-las

Imagem entrevista de emprego

Muitas vezes, a apresentação e o comportamento nas entrevistas derrubam candidatos que teriam boas chances de desenvolvimento profissional. Portanto relacionamos abaixo algumas observações importantes:

Antes da entrevista procure conhecer a empresa que quer contrata-lo pesquisando sobre suas características, procedimentos, concorrentes, clientes etc.

Faça em casa, um dia antes, o levantamento da sua carreira, preparando-se para dar bons argumentos ao entrevistador.

Procure chegar uns 20 minutos antes, bem vestido e leve uma agenda ou algo para tomar nota.

Abaixo estão algumas das perguntas mais recorrentes nas entrevistas de emprego, qual o objetivo dos entrevistadores e como se preparar para responder cada uma delas:

1 Por que você escolheu esta carreira?

É uma das primeiras perguntas que podem aparecer. O objetivo é entender se a escolha foi algo que veio de família, ou se é uma vocação dele.

Trazer interesses que o levaram a trilhar esse caminho profissional e aspectos da sua formação são oportunos neste momento.

2 Fale sobre suas experiências profissionais anteriores

Com intenção de saber um pouco mais do que o exposto no currículo, recrutadores geralmente pedem que candidatos descrevam as atribuições e funções em cargos ocupados por eles.

É bastante comum que as pessoas muito detalhistas comecem a relatar as experiências profissionais desde o início. “O passado é importante, mas quando se trata de um profissional com mais de 10 ou 15 anos de profissão, o que conta mais para aquela oportunidade é a experiência mais recente, dos últimos 5 ou 6 anos”.

3 O que você construiu nas empresas e cargos pelos quais passou? Quais foram as suas realizações mais importantes?

A intenção da pergunta é verificar o que foi marcante para a carreira do entrevistado e quais foram os projetos mais importantes dos quais participou. É interessante que o sucesso das empreitadas seja quantificado de alguma forma.

Cada segmento quantifica de um jeito, então pode ser em volume financeiro, ou em eficiência, por exemplo, mas o importante é provar isso de alguma forma.

4 Quais foram as motivações para as mudanças na sua vida profissional?

Com as informações sobre a trajetória profissional, o recrutador quer entender o que motivou cada mudança de cargo e empresa.

É importante que o profissional traga fatos reais que o impulsionaram em cada mudança. As pessoas dizem que foi uma oportunidade, mas o que vale é trazer para a conversa o que de fato significou essa oportunidade.

Por exemplo, um convite para trabalhar em uma empresa com o dobro do faturamento anual, oportunidade de ocupar um cargo com mais responsabilidade, um convite de um ex-chefe para uma função de maior expressividade. Assim a gente consegue avaliar qual o critério utilizado.

Apresentar a questão financeira como única e exclusiva fonte de motivação não cai bem. É hipocrisia dizer que o dinheiro não conta, a gente sabe que ele faz parte do pacote, mas às vezes ocorre movimento por uma quantia financeira não tão relevante. A questão salarial é importante, mas fale mais.

5 Qual o motivo do desligamento da empresa?

Se entre as mudanças na trajetória profissional há demissões, é raro o recrutador não querer saber o motivo. Não existe discriminação em relação à demissão. O que está sendo avaliado são os motivadores.

Em outras palavras, esteja preparado para dizer a razão pela qual você foi o escolhido e não outra pessoa. O candidato deve explicar o que estava em jogo que fez com que ele fosse desligado da empresa e não outra pessoa.

6 Como foi o seu pior dia de trabalho?

Essa é uma pergunta frequente nas chamadas entrevistas por competência. O objetivo aqui é descobrir como o candidato age em situações adversas.

Quando a pessoa relata o fato surgem outras perguntas como, por exemplo, o que você fez mediante esta dificuldade. É o conteúdo da vivência profissional do candidato que vale neste momento.

Neste caso não há resposta mais certa do que a outra, apenas tome cuidado para não expor uma situação que comprometa a sua imagem.

7 Dê um exemplo de uma situação em que você tenha se esforçado, além do normal, para atingir um resultado

O comprometimento do candidato com o trabalho fica evidente a partir da resposta a esta pergunta, que também é um exemplo de entrevista com foco em competência. O candidato vai ter que buscar na sua vivência um momento da carreira que tenha precisado dar um gás para atingir um resultado. Ou seja, é a partir desta situação real que o comprometimento e o envolvimento da pessoa com a empresa e o trabalho vão ser avaliados.

8 Quais foram os principais desafios que você enfrentou?

Mais uma vez a intenção é avaliar as atitudes do profissional. Neste caso ele terá que apresentar uma situação que ele tenha vivido e que tenha sido extremamente desafiadora do ponto de vista profissional.

O “pulo do gato” para se sair bem em uma entrevista neste estilo é a maneira como as vivências são apresentadas, porque é certo que cada candidato vai trazer uma resposta diferente. As pessoas precisam praticar antes de participar de uma entrevista com foco em competência porque é necessário pensar na trajetória profissional.

09 Você se lembra de algo que tenha acontecido que tenha sido um obstáculo para realizar uma tarefa?

Obstáculos aparecem diariamente e é importante, na visão dos recrutadores, entender como as pessoas agem (ou reagem) nesses casos. Além de explicar qual era o obstáculo, o candidato deve contar o que ele fez para solucionar a questão, se comunicou rapidamente o superior sobre problema.

10 Cite uma situação em que percebeu alguma pessoa que trabalhava com você precisando de ajuda

Proatividade e trabalho em equipe são as competências reveladas a partir da resposta a esta questão.  Para medir estas qualidades o recrutador vai querer saber quando e como percebeu que o colega de trabalho estava precisando de ajuda, o que você fez, como ajudou.

11 Como você se mantém informado?

Um bom profissional procura estar sempre atualizado, principalmente no que diz respeito ao seu segmento de atuação. A intenção dessa pergunta é identificar o foco e o interesse do candidato na sua área. Se você citar algum veículo de comunicação, esteja pronto para comentar uma reportagem que tenha lido.

12 Conte uma situação em que você teve que conviver com um chefe ou colega de trabalho difícil

A capacidade de separar questões pessoais de questões profissionais está sendo avaliada na resposta do candidato a esta pergunta.

A partir da classificação que a pessoa faz do que é um chefe ou um colega de trabalho difícil também é possível identificar as chances que ela tem de adaptar bem à equipe.

13 Como era seu relacionamento com seus colegas de empresa?

O interesse, além de investigar a capacidade de adaptação, é saber um pouco da postura do entrevistado no ambiente corporativo. Dá para perceber que tipo de ambiente ele prefere trabalhar a partir desta pergunta.

14 Fale-me sobre o seu círculo familiar e amigos

As perguntas mais pessoais trazem informações importantes sobre possibilidade de viajar, de se mudar para trabalhar em outra cidade.

O que o recrutador quer saber é se o estilo de vida daquele profissional está alinhado com a oportunidade em questão. O interesse, quando são feitas as perguntas pessoais, é perceber aspectos que poderiam interferir no desemprenho do profissional.

15 Como você enxerga a questão da mobilidade?

Para posições que exijam viagens, esta é uma pergunta que evidentemente vai aparecer. Mas lembre-se de que a resposta vai ser confrontada com outras respostas ao longo da conversa com o recrutador.

Não adianta a pessoa dizer que tem disponibilidade total para se mudar, se já respondeu que a mulher é funcionária pública o que torna uma mudança de cidade mais complicada.

16 Qual é a sua meta profissional de longo prazo?

Aqui o avaliador consegue avaliar se o candidato possui interesse em crescer e construir carreira na empresa. O entrevistador já pode aproveitar para perguntar como pretende se preparar para isto.

 17 O que mais lhe irrita no ambiente de trabalho?

Nenhuma empresa é perfeita. Às vezes o que mais irrita ou dificulta o trabalho do candidato é justamente o que está mais presente no ambiente que ele vai trabalhar. Será o candidato vai se adaptar a este ambiente?

18 Qual foi a situação profissional mais difícil que você resolveu? Como?

Desafios fazem parte da carreira. Com esta perguntar o entrevistador consegue identificar o que o candidato considera como desafios. Também serve para avaliar como o candidato se comporta nos momentos de pressão, se é criativo e como toma decisões.

19 Qual objetivo que você não conseguiu atingir em seu último emprego? O que você aprendeu com isso?

Aqui o entrevistador pode identificar limitações e se o candidato é capaz de aprender com os erros.

20 Dentre os gerentes com quem você já trabalhou, qual foi o melhor e o pior? Por quê?

Cuidado para não cair na armadilha de detonar chefes anteriores. Pode elogiar seu gerente ou seu chefe, sem, contudo parecer puxa saco. Na hora de criticar faça-o com sutileza. E lembre-se nunca a pessoa, sempre o procedimento. 

21 O que você sabe sobre nossa empresa?

Espera-se que o candidato conheça bem a empresa que deseja entrar. O entrevistador pode ainda perguntar se você conhece os concorrentes, o mercado, os clientes etc. Pesquise antes de iniciar o processo seletivo.

22 O que lhe faz querer trabalhar conosco?

Para esta pergunta, geralmente as pessoas soltam aquelas respostas padrão. São elas: “porque é um novo desafio” ou ainda “é uma chance de crescimento”.

Destaca-se quem tem mais clareza do que quer. O candidato deve trazer o motivo que faz com que aquela oportunidade valha a pena. Ter a chance de assumir uma equipe, conhecer outras áreas de dentro do mesmo segmento, aumentando seu escopo de atuação profissional, são alguns exemplos que tornam mais real a motivação para a conquista daquela oportunidade de carreira.

23 Por que devemos contratá-lo?

Dizer que você tem sede de aprender, de crescer profissionalmente e de contribuir com a empresa não são respostas satisfatórias. O candidato deve expor como pode colaborar com o desenvolvimento da organização.

24 Como você poderá contribuir para o desenvolvimento e crescimento da empresa?

O entrevistado deve se fazer essa pergunta antes de ser questionado. Quais as expectativas da empresa com relação ao profissional que vai ocupar a vaga disponível? Se isso não estiver claro, o candidato deve questionar o selecionador.

Aqui estão mais 50 perguntas para você refletir e treinar.

  1. Quais são os seus pontos fortes?
  2. Quais são seus pontos fracos?
  3. Por que você está interessado em trabalhar para nós?
  4. Onde você se vê daqui a 5 anos? 10 anos?
  5. Por que você quer deixar sua empresa atual?
  6. Por que houve uma lacuna no seu emprego entre [data] e [data]?
  7. O que você pode nos oferecer que outra pessoa não pode?
  8. Quais são as três coisas que o seu ex-gerente gostaria que você melhorasse?
  9. Você está disposto a mudar?
  10. Você está disposto a viajar?
  11. Conte-me sobre a realização da qual você mais se orgulha.
  12. Conte-me sobre um erro que você tenha cometido.
  13. Qual é o seu emprego dos sonhos?
  14. Como você ficou sabendo sobre esta posição?
  15. O que você procura realizar nos primeiros 30 dias/60 dias/90 dias nesta vaga?
  16. Fale-me sobre o seu currículo.
  17. Fale-me sobre a sua formação educacional.
  18. Descreva-se.
  19. Conte-me como você lidou com uma situação difícil.
  20. Por que devemos contratá-lo?
  21. Por que você está à procura de um novo emprego?
  22. Você trabalharia em feriados/fins de semana?
  23. Como você lidaria com um cliente nervoso ou irritado?
  24. Quais são as suas exigências salariais?
  25. Dê-me um exemplo de uma vez que você tenha se esforçado ao máximo por um projeto.
  26. Quem são nossos concorrentes?
  27. Qual foi o seu maior fracasso?
  28. O que lhe motiva?
  29. Qual é a sua disponibilidade?
  30. Quem é o seu mentor?
  31. Conte-me sobre alguma vez em que você não concordou com seu chefe.
  32. Como você lida com a pressão?
  33. Qual é o nome do nosso CEO?
  34. Quais são seus objetivos de carreira?
  35. O que faz com que você acorde de manhã?
  36. O que seus subordinados diretos dizem sobre você?
  37. Quais eram os pontos fortes e fracos dos seus chefes?
  38. Se eu ligasse para seu chefe agora e lhe perguntasse uma área em que você pode melhorar, o que ele diria?
  39. Você é um líder ou um seguidor?
  40. Qual foi o último livro que você leu para se divertir?
  41. O que o irrita nos seus colegas de trabalho?
  42. Quais são os seus hobbies?
  43. Qual é o seu site favorito?
  44. O que faz você se sentir desconfortável?
  45. Quais são algumas de suas experiências de liderança?
  46. Como você demitiria alguém?
  47. O que você mais e menos gosta neste setor de trabalho?
  48. Você trabalharia mais de 40 horas por semana?
  49. Quais perguntas eu não fiz?
  50. Que perguntas você tem para mim?

Que tal conhecer um pouco sobre Hipnose e Hipnoterapia agora? É só clicar aqui!

Gosta de neurociências? Siga o prof. Sergio Enrique no Facebook clicando aqui.

Clique aqui para assistir a um vídeo onde o prof. Sergio Enrique tira dúvidas sobre Hipnose e Hipnoterapia.

Fontes:

http://exame.abril.com.br/carreira/as-20-perguntas-que-mais-aparecem-nas-entrevistas-de-empreg

https://oglobo.globo.com/economia/emprego/as-15-perguntas-que-podem-fazer-candidato-engasgar-na-entrevista-4244600

http://hypescience.com/as-10-perguntas-mais-comuns-e-como-ter-um-otimo-desempenho-em-uma-entrevista-de-emprego/

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Sobre o Autor

Sergio Enrique mostrando cérebro na hipnose

Prof. Sergio Enrique Faria

Sergio Enrique Faria é diretor do Estúdio da Mente. Psicanalista, Parapsicólogo, Hipnoterapeuta, Coach, Trainer e Master Practitioner Internacional em PNL – Programação Neurolinguística.
Doutorando em Ciências da Educação, Mestre em Comunicação, Pós-graduado em Neurociência Clínica e Educacional. Pós-graduado em Neuropsicologia, Pós-graduado em Neuropsicopedagogia, Pós-graduado em Psicanálise Clínica, Pós-graduado em Didática e Metodologia do Ensino Superior, Pós-graduado em Comércio Exterior e Bacharel em Administração de Empresas, Líder de Aprendizagem certificado pela Harvard University (EUA).
Palestrante, treinador e Professor universitário em cursos de pós-graduação e MBA. Autor e coautor dos livros: “Vendas e Negociação com PNL – como entrar nas mentes de seus clientes”. “Manual completo de PNL – Estratégias de grandes especialistas da Programação Neurolinguística para alcançar a excelência” e “Educação 2008 – As mais importantes tendências na visão dos mais importantes educadores”. 

Siga-me!

Posts Relacionados

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Recentes

error: Este conteúdo está protegido por direitos autorais | A cópia ou reprodução deste texto ou parte dele sem a autorização do autor configura CRIME DE VIOLAÇÃO dos Direitos Autorais no Art. 184 - A pesquisa antiplágio é realizada pelo Google
Open chat