Falsas memórias – Quando o cérebro distorce e cria lembranças

Lápis apagando cérebro

Você jura ser verdade. Mas a situação pode ter sido muito diferente do que você lembra.⠀

Nosso cérebro tem o hábito de agregar detalhes ou produzir lembranças que não ocorrem. Grande parte delas é inofensiva. Mas as falsas memórias também podem provocar graves injustiças. Segundo o Projeto de Inocência da ONG americana, mais de 400 pessoas inocentes foram condenadas por causa de testemunhas que, mais tarde, foram reveladas.

Por que o cérebro se dá ao trabalho de fabricar fatos?

Para dar conta do excesso de informação. Ele é incapaz de reter tudo o que vê, sentimos, escutamos ou tocamos. Então, em vez de todos os detalhes do mundo, guardar apenas a essência de eventos, objetos e emoções – e, na hora de lembrar de algo, apresentar como lacunas, associação, com outras memórias. O problema é que não nos damos conta disso, e acaba ocorrendo uma sobreposição de lembranças.

Além disso, cada vez que você se lembrar de uma memória, ela pode ser alterada e distorcida.

Isso acontece por um mecanismo chamado de reconsolidação. Quando você tenta lembrar de algo, a memória sai do banco de dados do cérebro, é acessada pela sua consciência e, por fim, armazenada novamente no banco de dados. Durante esse processo, uma memória está vulnerável e pode ser acidentalmente modificada pelo cérebro.

Estudos da Universidade Johns Hopkins, dos EUA, revelaram que há uma diferença sutil na atividade cerebral durante a formação de memórias falsas e verdadeiras: o córtex pré-frontal, ligado ao raciocínio, sua atividade prejudicial quando a memória é falsa.

Ou seja, ambos os tipos de memória se formam do mesmo jeito, com uma diferença crucial: como falsas não passam pelo raciocínio lógico.

Que tal conhecer um pouco sobre Hipnose e Hipnoterapia agora? É só clicar aqui!

Gosta de neurociências? Siga o prof. Sergio Enrique no Facebook clicando aqui.

Clique aqui para assistir a um vídeo onde o prof. Sergio Enrique tira dúvidas sobre Hipnose e Hipnoterapia.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Sobre o Autor

Sergio Enrique mostrando cérebro na hipnose

Prof. Sergio Enrique Faria

Sergio Enrique Faria é diretor do Estúdio da Mente. Psicanalista, Parapsicólogo, Hipnoterapeuta, Coach, Trainer e Master Practitioner Internacional em PNL – Programação Neurolinguística.
Doutorando em Ciências da Educação, Mestre em Comunicação, Pós-graduado em Neurociência Clínica e Educacional. Pós-graduado em Neuropsicologia, Pós-graduado em Neuropsicopedagogia, Pós-graduado em Psicanálise Clínica, Pós-graduado em Didática e Metodologia do Ensino Superior, Pós-graduado em Comércio Exterior e Bacharel em Administração de Empresas, Líder de Aprendizagem certificado pela Harvard University (EUA).
Palestrante, treinador e Professor universitário em cursos de pós-graduação e MBA. Autor e coautor dos livros: “Vendas e Negociação com PNL – como entrar nas mentes de seus clientes”. “Manual completo de PNL – Estratégias de grandes especialistas da Programação Neurolinguística para alcançar a excelência” e “Educação 2008 – As mais importantes tendências na visão dos mais importantes educadores”. 

Siga-me!

Posts Relacionados

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Recentes

error: Este conteúdo está protegido por direitos autorais | A cópia ou reprodução deste texto ou parte dele sem a autorização do autor configura CRIME DE VIOLAÇÃO dos Direitos Autorais no Art. 184 - A pesquisa antiplágio é realizada pelo Google
Open chat